O conselho da maioria dos empreendedores de sucesso para aqueles que querem iniciar um negócio próprio é o ramo de franquias. O negócio já vem estruturado, recebe-se o apoio e orientações do franqueador e a força da marca coloca gente no seu negócio assim que abrem-se as portas. Tudo muito bom! Infelizmente, contudo, com a grave crise econômica em que o Brasil foi colocado, os galpões vazios se multiplicam como água (exemplo inválido para o estado de São Paulo, onde falta água…), dando espaço a mais malfadada de todas as franquias: a do “aluga-se”.

É uma pena! Inflação alta, juros escorchantes e micropibinho, que aliás, nem micro será, teremos crescimento negativo em 2015 e muito provavelmente em 2016 também. Um cenário macroeconômico péssimo para os empresários brasileiros, que lutam, não para ganhar dinheiro, mas sim para sobreviver (só os bancos voando em céu de brigadeiro… por que será, né?). Mas em época de crise, há também mais desemprego, tirando dinheiro de circulação e forçando o comércio a demitir, levando consigo também os empregos da indústria, que não tem para quem produzir. Dessa forma, a loja que tinha 10 funcionários, passa a ter 5. A metragem quadrada do estabelecimento fica ociosa, obrigando o proprietário a se mudar para um lugar menor, levando vários galpões a ficarem vazios, com a famosa frase de “aluga-se”.

E o que se pode fazer? Resposta: aquilo que os governantes (nas 3 esferas: municipal, estadual e federal) não sabem fazer, ou seja, cortar custos! Mais ainda, tem também a questão da produtividade. Qual percentual de empresários brasileiros que medem seriamente a produtividade de seu time? Por que sua padaria precisa de 20 pessoas para fazer 1000 pãezinhos por dia, se a da outra esquina necessita da metade das pessoas para produzir 30% a mais que você? São perguntas como essa que devem ser feitas sempre, principalmente em épocas de recessão, como a atual.

Meu conselho é que você repense sua estratégia (se é que tem uma…). Compare com outros que tenham negócios similares e entenda o motivo deles serem mais rentáveis. As respostas podem evitar que você se torne o próximo franqueado da indesejada marca “aluga-se”!

Anúncios