Quem é ou já foi sabe: a maioria dos funcionários não é muito fã dos trainees! Depois de ter passado por um árduo processo seletivo, finalmente ele irá conhecer os novos companheiros de trabalho. Espera por uma grande recepção, clima amigável e feliz, mas muitas vezes não é assim. Por quê?

Arrisco alguns palpites:

Em primeiro lugar, várias empresas exageram um pouco na recepção aos novatos, o que é perfeitamente compreensível, já que a expectativa com os recém-contratados é enorme. Isso gera certo ciúme dos antigos de casa, que não tiveram nada disso quando contratados.

Normalmente, um certo orgulho – quase arrogante – também toma conta dos trainees. Nada mais natural, pois acabaram de passar por uma batalha (sem exageros!) na qual se mostraram vitoriosos e competentes. Mas isso não deve gerar um comportamento altivo e pueril. O trainee pode ser o cara mais inteligente e genial, mas não deixa de ser um profissional de fraldas, que ainda tem muito a aprender.

Porém, o que mais dá desespero nos funcionários do setor que recebe o trainee é: “esse cara vai tomar o meu lugar!” Faz sentido. Um novato inteligente, bem formado e cheio de energia para fazer mudanças, de fato, gera certa insegurança.

Sugiro ao trainee que reflita sobre isso. Saber o que se passa é meio caminho andado. O melhor é tentar conquistar o respeito dos seus colegas profissionais. Para isso, procure mostrar que não está interessado no lugar deles, mas sim, em ser efetivado e em crescer profissionalmente. Ajude-os em suas tarefas, aprenda o necessário e traga melhorias para todos. Faça planilhas que poupem tempo, compile bancos de dados que auxiliem em tarefas críticas. Sem dúvida, essa é a receita da aceitação dos colegas. Ah, e não se esqueça de ser humilde e simpático, isso sempre ajuda.

Eng. William Mazza

Anúncios