Quem é que nunca viu uma mensagem do tipo: “Canadá busca 14.700 profissionais”? Eu mesmo já compartilhei algumas dessas mensagens. Mas isso é real ou mais umas das recorrentes pegadinhas da internet? 

É real! Mas como funciona, então? Primeiro, sejamos inteligentes e vamos aos fatos. Por que razão um país de primeiro mundo estaria interessado em abrir suas portas para estrangeiros? Por apresentar elevada consideração humana? Por ter atingido o ápice da caridade cristã? Claro que não! É por pura falta de opção mesmo! Com baixas taxas de natalidade e envelhecimento da população, falta mão de obra em países ricos, como por exemplo, o Canadá. Sendo assim, recorrem a diversos países na tentativa de preencherem lacunas de seus mercados de trabalho. Ficou animado? Calma, que não terminei ainda.

Então, como funciona? No Canadá, especificamente, é preciso lembrar que o país é bilíngue: inglês e francês são os idiomas oficiais. Nem preciso dizer, então, que sem fluência em algum dos idiomas, a entrada no país da América do Norte é (quase) impossível. Essa já é a primeira grande peneira. Na verdade, os candidatos a trabalhar por lá serão ranqueados segundo critérios bem objetivos:

  • Proficiência de língua: quem vai querer levar um iletrado nos idiomas oficiais? Ninguém!
  • Grau de escolaridade: quanto maior, melhor; mas não serve qualquer formação superior. Se tiver mestrado e doutorado, melhor ainda. Bobinhos eles, não?
  • Tipo de formação: preferencialmente, formações com viés tecnológico, ligadas à web, computação, automação, etc.
  • Idade: quanto mais novo, melhor, de preferência recém-formado. Idosos eles já têm bastante por lá.
  • Estado civil: solteiros levam vantagem, é claro. Ou se você for casado com cidadão (ã) canadense também. Se tiver 5 filhos, com 5 brasileiras diferentes, esqueça!

Perceba que o rigor da seleção é alto, e a peneira bem estreita. Qual percentual da população brasileira preenche esses requisitos de maneira a ter alguma chance? Um por cento, talvez? Menos até. Por isso, o título desse post é desanimador. Agora, se estiver no perfil desejado, claro, não deixe de levar essa opção de vida em conta, afinal, o governo canadense, que de bobo não tem nada, vai te dar o valor que você merece!

#ficaadica

Eng. William Mazza

*também realizo análises minuciosas de CV e perfil de Linkedin, além de ter bolado a “Estratégia de Recolocação Profissional do WMazza em 10 passos” – Conheça!!

Anúncios