Realizei uma pesquisa no meu perfil do Linkedin, na qual 4.300 usuários da rede social opinaram à vontade, interagindo com 4 posts diferentes, mas com conteúdo similar:

  • Quem nunca conseguiu nada com a Catho / Linkedin / Vagas.com / InfoJobs curte, quem conseguiu comenta! Vamos ver a real!!!

Foram 4 dias, entre 2 e 6 de Agosto de 2016, cujos resultados estão logo abaixo:

  1. Linkedin: 797 internautas curtiram, ou seja, não obtiveram êxito com essa ferramenta; enquanto 172 comentaram seus êxitos. Em resumo, 21,5% de sucesso!
  2. Vagas.com: 217 internautas curtiram, ou seja, não obtiveram êxito com essa ferramenta; enquanto 44 comentaram seus êxitos. Em resumo, 20,2% de sucesso!
  3. Catho: 2.147 internautas curtiram, ou seja, não obtiveram êxito com essa ferramenta; enquanto 342 comentaram seus êxitos. Em resumo, 16% de sucesso!
  4. InfoJobs: 513 internautas curtiram, ou seja, não obtiveram êxito com essa ferramenta; enquanto 69 comentaram seus êxitos. Em resumo, 13,4% de sucesso!

Claro, sem a precisão e a consistência de um instituto de pesquisa profissional, parece-me que Linkedin e Vagas.com estão praticamente empatados, pois os percentuais estão muito próximos. Seguidos de Catho e InfoJobs. Mas a análise traz outras conclusões.

Impressionante a relevância da Catho em termos de quantidade de opiniões. Quase 2.500 pessoas citaram a empresa, enquanto apenas 261 trataram do Vagas.com. Claro, a taxa de sucesso, na minha opinião, é mais importante do que o número absoluto, mas não deixa de chamar a atenção a força da seríssima empresa Catho, a qual já tive o prazer de conhecer as instalações no início desse ano.

Mais um destaque: nenhuma das 4 plataformas traz resultados muito melhores que as demais! Por exemplo, nenhuma tem performance de 50% de sucesso, desbancando as rivais. Muitos usuários defendem umas com unhas e dentes, e dizem horrores sobre outras. Os resultados, porém, mostram que o fanatismo por essa ou aquela é um baita exagero.

Mais um fato? Eu digo. Depois de ver o percentual de insucessos (~80%), é fácil entender por que há mais descontentes do que contentes. Essas empresas colocam frente a frente quem contrata com quem quer emprego. Não obter sucesso não é culpa delas! É óbvio que todas são sérias e não inventam vagas coisa nenhuma! Então, aceite os resultados e saiba o potencial de cada uma, lembrando sempre de que você também tem sua parcela de responsabilidade, na tristeza ou na alegria.

Outro fato muito relevante, é entender quem são minhas conexões no Linkedin, já que foram elas que tiveram grande relevância no resultado da pesquisa. A maioria dos meus contatos por aqui é formada por engenheiros e profissionais de nível superior:

  • 60% são de São Paulo e região
  • 20% de engenheiros
  • 20% de funcionários de TI

Ou seja, o Linkedin, que venceu o pleito ao lado do Vagas.com, talvez seja mais relevante com esse público, e menos certeiro para outros. Quero dizer com isso é que nem sempre o melhor para um público significa o melhor para todo mundo. Talvez, em outros perfis, os percentuais entre os 4 concorrentes varie significativamente. Cabe, então, a você fazer suas análises dos meus resultados, e decidir se valem mais ou menos para seu caso. Boas decisões! Afinal, seu futuro depende delas!

Eng. William Mazza

*também realizo análises minuciosas de CV e perfil de Linkedin, além de ter bolado a “Estratégia de Recolocação Profissional do WMazza em 10 passos” – Conheça!!

Anúncios