Não basta estar sem emprego, também é preciso atentar-se para não ser feito de bobo com a criação de vagas fake. Desenvolvi uma técnica para desmascarar esse tipo de pilantragem, a qual compartilho abaixo. Individualmente, é claro, cada item não precisa ser um problema numa vaga de emprego comum, mas se em conjunto estiverem concentrados em uma só oportunidade: bingo!!!! É vaga fake na certa!

1. A vaga não cita a empresa que oferece a oportunidade
2. Não há menção clara da empresa que está realizando a seleção
3. O usuário do Linkedin não é headhunter, nem ao menos trabalha com recrutamento e seleção
4. O e-mail para envio do CV é um webmail do tipo Hotmail, Yahoo, Gmail ou similar, ao invés de e-mail de empresa
5. Não há informação precisa sobre o cargo a ser preenchido, do tipo “Supervisor de Vendas”, em vez disso, pode aparecer “Oportunidade para Vendas”
6. A vaga não informa nenhuma data: nem de início de seleção, muito menos o limite para envio de CVs
7. A postagem de Linkedin está no ar há meses, fazendo parecer que é a seleção de candidatos mais longa da história da humanidade
8. O pseudo-recrutador coloca informações genéricas: “busco por profissionais…”, ou “informe seu nome nos comentários abaixo, que irei verificar os perfis…”

Se esqueci de algum quesito, por favor, deixe sua contribuição nos comentários abaixo! #abaixovagasfake

Eng. William Mazza

*também realizo análises minuciosas de CV e perfil de Linkedin, além ter bolado a “Estratégia de Recolocação Profissional do WMazza em 10 passos” – Conheça!!!

Anúncios