“Imprescindível inglês fluente” – será mesmo?


Quem conhece anúncios de emprego sabe que o tal do “inglês fluente” aparece quase sempre. A pergunta que se faz, entretanto, é: precisa mesmo ou é apenas um luxo desnecessário?

Preciso iniciar esse post afirmando que o tema em questão não é a importância ou não de saber falar inglês! Claro que é importante! Não só pela questão profissional, mas também por causa de vários outros contextos pessoais. Sou o primeiro a estimular quem quer que seja o estudo desse idioma, ok?

Voltando aos anúncios de emprego, percebo que pedir “inglês fluente” virou lugar-comum, mesmo quando há fortes indícios de que se trata apenas de vontade, e não de necessidade premente.

Entendo que em tempos de vacas magras há que se criar critérios mais apurados para seleção de pessoal, já que a quantidade de candidatos aumenta muito. Em igualdade de condições, é claro que qualquer um daria preferência aquele fluente em língua inglesa, afinal, vai que…

Pois é, cheguei ao ponto: “vai que” é bem diferente de necessidade. É verdade que o inglês é a língua dos negócios, ciência e tecnologia, mas os que conhecem o ambiente corporativo de perto sabem que a imensa maioria trabalha – muito bem, obrigado – passando ao largo do tal do inglês!

Diz a mensagem motivacional das redes sociais “contrate o caráter, treine as habilidades”. Concordo. Idioma se aprende, basta estudo e esforço. Deixar passar um ótimo candidato por algo que pode ser resolvido com relativa facilidade, não me parece atitude das mais inteligentes. Claro, óbvio que se a vaga tiver contato frequente com exterior não há dúvidas a respeito, mas em outros casos, dá muito bem para abrir mão desse luxo [muitas vezes] desnecessário.

Eng. William Mazza

*também realizo análises minuciosas de CV e perfil de Linkedin, além de ter bolado a “Estratégia de Recolocação Profissional do WMazza em 10 passos” – Conheça!!

Anúncios

13 comentários em ““Imprescindível inglês fluente” – será mesmo?

  1. Concordo com você Willian, acredito que para nós brasileiros seja imprescindível falar inglês inclusive estudo à 3 anos, mas muitas empresas pedem essa segunda língua apenas por luxo.
    Tenho uma sobrinha que trabalha em uma multinacional à cinco anos, é formada, fala inglês fluente, mas na empresa nunca usou. Minha filha fala inglês e espanhol, trabalha também em multinacional e também nunca usou nenhuma das línguas na empresa.
    Apesar disso tanto uma empresa como a outra na entrevista solicitaram às mesmas, inglês fluente.

    Curtir

  2. Concordo que alguns cargos não exijam o Inglês – especialmente fluente – para a comunicação diária, o que o torna sim, no nível exigido, um luxo. Mas ter noções de Inglês ajuda não apenas no dia a dia, mas na melhoria do serviços prestados, da técnica do profissional e de outros e em diversos outros aspectos culturais que a língua propicia.

    Ótimo assunto! Obrigado pelo texto.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Discordo um pouco. Talvez alterar desejável inglês pelo menos intermediário já será um grande avanço para nossas empresas. Conheço excelentes profissionais, mas que não tem o idioma. No Brasil se fala pouco inglês se compararmos com outros países. Nossas empresas precisam ser globais e sonhar alto. O 3G não seria o que é hoje se não tivesse profissionais com inglês. Temos que sair da mesmice e oferecer nossos produtos e serviços para o mundo. Não acho que é luxo, e sim um desejo a ser despertado nos brasileiros.

    Curtir

      1. Desculpe-me novamente caro autor. Prefiro ao luxo do que ao singelo. O Brasil precisa dar um show la fora e sei que somos capazes. Há muitos anos os governadores nunca deram importância no idioma inglês e hoje sofremos com este requisito. Uma hora a gente tem que começar e a começar por uma simples pressão em um anúncio de emprego podera nos motivar a buscar tal requisito. Quando estive na Alemanha, todos falaram inglês comigo quando precisei de informação. Diferente quando precisei ajudar 3 senhoras europeias que estavam perdidas aqui em SP pela busca de informações e rezando para encontrar alguém que falasse outra língua.

        Curtir

      2. Espere um pouco, eu não disse que falar inglês é luxo. Eu disse que muitas empresas pedem sem precisar, por puro luxo. Acho que não entendeu meu post…

        Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s