Cada rede social tem suas características próprias, enfocando determinados públicos e atividades. Com o LinkedIn, é claro, não é diferente! Pena que muitos usuários da maior plataforma sobre emprego e carreira do mundo, com mais de 28 milhões de conectados só no Brasil, não saibam distinguir as diferenças básicas entre as principais redes. Deixe-me ajudar, então.

Linkedin não é Tinder

1O Tinder é o local certo para quem quer flertar. As fotos dos (as) pretendentes passarão pela telinha do celular e basta adicionar aqueles que interessam. Se der a mesma sorte, o flerte será retribuído e a paquera estará no ar.

Agora, fazer o mesmo no LinkedIn é de lascar! Aproveitar-se da construção de network para tentar um algo a mais, além de inapropriado, não é permitido pela plataforma. Se for denunciado, o (a) xavequeiro (a) pode ter sua conta cassada. Além disso, se o (a) ofendido (a) resolver expor sua postagem “amorosa”, sua imagem profissional pode sofrer um desgaste irreparável.

Uma outra possibilidade é o profissional assediado buscar por pessoas da equipe de compliance de sua empresa, ou até mesmo seu chefe ou head de RH, e mostrar suas gracinhas virtuais. Já avaliou o possível estrago?

Linkedin não é Facebook

1A rede de Mark Zuckerberg é a maior do mundo! Local de todo tipo de postagens: vídeos na praia, casamento da irmã, festa de sua formatura, última viagem à Disney, embates sobre política, etc. Tudo muito interessante para você, amigos e familiares, mas totalmente inadequado para o propósito do Linkedin. Como é desagradável acompanhar, por exemplo, calorosas discussões sobre política numa rede de cunho profissional! Também é bastante chato quando usuários expõem a vida pessoal da mesma maneira como fazem no Face. Importante relembrar: toda formalidade presente no mercado de trabalho deve se retratar na utilização do Linkedin.

Linkedin não é Instagram

1Principal rede social do mundo das fotografias, o Instagram comporta tudo que os cliques das câmeras fotográficas são capazes de captar. Além do uso pessoal convencional, essa plataforma também auxilia muita gente a ganhar dinheiro, seja falando de mundo fitness, ou a respeito de viagens ou até mesmo bolos e decorações. É a rede mais visual de todas, sem dúvidas. Pena que alguns usuários do LinkedIn esqueçam de utilizá-la, e prefiram expor a foto do gato, da praia e outras de gosto bem duvidoso para aqueles buscam ampliar suas networks ou que simplesmente estejam procurando por trabalho.

Linkedin não é Twitter

1A última rede social que citarei é também uma das mais populares. O Twitter tem lógica própria. Pouco importa quem pertença à sua rede, desde que curtam e compartilhem o que você escrever. Os famosos 140 caracteres – confesso que nem sei se essa regra já caiu ou não, mas enfim… – são o limite de espaço para qualquer um se expressar por lá. Bem diferente do LinkedIn, onde há espaço suficiente para você se expor e mostrar todas suas qualidades e habilidades.

Mais importante ainda é que muitos levam a lógica de ter muitos seguidores do Twitter para o LinkedIn, o que na minha opinião não faz sentido para 90% dos usuários. Sair adicionando qualquer um a torto e à direita vai de encontro ao propósito de criar uma rede profissional que te ajude a encontrar empregos ou realizar networking de verdade. Muito mais valiosa uma rede de mil conexões engajadas, que te conheçam e te indiquem para vagas e recrutadores, do que aquela com cinquenta mil seguidores e que ignora 99% de seus posts. Pense nisso.

Para terminar, gostaria de dizer que não pertenço à “GESTAPO” do Linkedin, ou seja, aquele grupo de usuários que decidem o que pode ou não ser postado, e saem agredindo e assediando moralmente outros profissionais que não postam conteúdos que lhes agradem. A constituição brasileira dá liberdade de expressão a todos cidadãos do país, por isso, sinta-se à vontade para postar aquilo que entender que seja correto, contudo, esteja também preparado para enfrentar as consequências de possíveis desvios de finalidade. It’s up to you!

Eng. William Mazza

wmazza@bol.com.br

*também realizo análises minuciosas de CV e perfil de Linkedin, além de ter bolado a “Estratégia de Recolocação Profissional do WMazza em 10 passos” – Conheça!!

 

Anúncios