A vida fluía no ritmo de sempre, até que a demissão veio e mudou tudo! Os dias parecem ter 36 horas, os dias úteis mais parecem feriados prolongados e os finais de semana perderam a graça quase que completamente. Só quem já esteve ou está desempregado sabe do que estou falando.

A batalha pela recolocação é muito mais árdua do que parecia. Envolvido pelas rotinas corporativas, e alienado na correria do dia a dia, quem enfrenta o desemprego nunca imaginou que quando chegasse sua vez seria tão difícil se reerguer.

Quando se enfrenta a briga acirrada da concorrência pelas oportunidades de trabalho, rapidamente percebe-se que o resumo profissional apresenta alguns problemas até então ignorados: o inglês não é tão bom quanto o dos concorrentes, a única pós-graduação já parece caduca por ter sido feita há uma década, além dos cursos de atualização que foram sempre postergados e agora fazem muita falta.

O pior é que muitos ficam paralisados diante da falta de trabalho. Agora que têm tempo para estudar, e realizar todos os cursos que deveriam ter sido feitos no passado, deixam-se levar pelo emaranhado de desculpas que levam à inação: “não tenho dinheiro para estudar outro idioma”, “não posso bancar um curso com o dinheiro da rescisão”, e outras justificativas mais.

O tempo passa, e a fase de desemprego atinge 6 meses, 1 ano, 2 anos e até mais. E para surpresa geral, aqueles gaps que poderiam estar sendo sanados um a um, continuam lá do mesmo jeito do início do período de penúria. Ou seja, o profissional não evoluiu, nem se atualizou, muito menos ficou mais competitivo do que quando perdeu o emprego. Uma pena, pois o cruel mercado de trabalho não alivia para ninguém.

Mas meu artigo não é para desanimar, nem levar culpa aos cansados ombros dos já combalidos profissionais disponíveis, pelo contrário, é um chamado à ação, um wake-up call que visa a despertar ânimo e motivação, trazendo à consciência de todos que é possível sim escapar ao ciclo vicioso do desemprego: “não faço nada porque não tenho emprego” e “não tenho emprego porque não faço nada”.

Vamos às sugestões práticas e gratuitas:

  1. Inglês
    1. canais do Youtube que recomendo
      1. Mairo Vergara
      2. Learn English with Emma
      3. Go Natural English
      4. Learn English with Let’s Talk – Free English Lessons
      5. L.E.O – Learning English Listening Skills
    2. sites gratuitos
      1. BBC Learning English – Learning English

      2. British Council Learn English

      3. VOA Learning English

  2. Cursos gratuitos de alta qualidade
    1. Coursera | Online Courses From Top Universities

    2. Veduca: Home

    3. Cursos Gratuitos « FGV Online

E tem muito mais pela internet, basta procurar! Com essas dicas, ninguém gastará um centavo que seja, e terá à sua disposição o que o Brasil e o mundo podem oferecer de melhor. Comece imediatamente e leve muito a sério, afinal, sua recolocação passa necessariamente por aqui.

Eng. William Mazza

contato: wmazza@bol.com.br

*também realizo análises minuciosas de CV e perfil de Linkedin, além de ter bolado a “Estratégia de Recolocação Profissional do WMazza em 10 passos” – Conheça!!

Anúncios