Poucos profissionais desenvolvem suas redes de contatos enquanto estão trabalhando, deixando a tarefa apenas para quando se veem desligados de seu emprego anterior. Erro crasso, em minha opinião.

Networking é via de duas mãos. Obviamente, o interesse é recíproco e cabe aos dois lados cuidarem dos laços criados no passado, para que num futuro incerto possam render frutos em caso de necessidade de qualquer um.

Quando o profissional nunca realiza essa troca, e deixa para o momento do desemprego para resolver fazer aquilo que nunca fez, soa apenas como um interesse momentâneo e unilateral de alguém que não quer criar um laço, mas sim apenas resolver seu problema atual. Uma vez reempregado, muito provavelmente a network será ignorada de novo até o próximo momento que convier.

Para você que está desempregado, uma dica: inicie seus contatos e saiba que dificilmente renderá frutos rapidamente. Não adianta queimar etapas, do tipo pedir emprego logo na segunda conversa. Não funciona assim. É preciso construir uma relação – mesmo que virtual – onde a outra parte passe a te conhecer e saber do seu valor profissional, e assim te indicar para alguma oportunidade de trabalho futura.

 

Eng. William Mazza

contato: wmazza@bol.com.br

*também realizo análises minuciosas de CV e perfil de Linkedin, além de ter bolado a “Estratégia de Recolocação Profissional do WMazza em 10 passos” – Conheça!

Anúncios